lunes, julio 23, 2007

Poesía Galega: Longa Noite de Pedra de Celso Emilio Ferreiro

Ahí vai un cachiño dunha das obras claves do grande poeta de Celanova, o meu entender un dos grandes poetas que máis lle cantaron a Nosa Terra. Este é un fermoso e triste pedazo.


Longa noite de pedra

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Carlos Drummond de Andrade

O teito é de pedra.
De pedra son os muros
i as tebras.
De pedra o chan
i as reixas.
As portas,
as cadeas,
o aire,
as fenestras,
as olladas,
son de pedra.
Os corazós dos homes
que ao lonxe espreitan,
feitos están
tamén
de pedra.
I eu, morrendo
nesta longa noite
de pedra.